I Fórum de Patrimônio Jovem Espanha-Brasil promove integração entre países em São Paulo (SP)

I Fórum de Patrimônio Jovem Espanha-Brasil promove integração entre países em São Paulo (SP)

Fórum Espanha-Brasil do Patrimônio Cultural.

Na foto, os estudantes do GDV que participaram do fórum e o Orientador Educacional, André Cezaretto.

Noventa estudantes brasileiros e espanhóis da Rede de Escolas Associadas da UNESCO (PEA) participaram do I Fórum de Patrimônio Jovem Espanha-Brasil. O evento, organizado em parceria pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Colégio Miguel de Cervantes, foi realizado em São Paulo (SP), entre os dias 15 e 17 de novembro. 

A palestra inaugural sobre a importância dos jovens para a difusão e salvaguarda do Patrimônio Mundial marcou o início das atividades programadas para o fim de semana. Durante três dias, os alunos, na faixa de 13 e 15 anos de idade, participaram de oficinas ministradas por representantes do Ministério da Cultura da Espanha e do Iphan, em espanhol e em português.

As oficinas tiveram como foco os processos de escuta dos jovens, de maneira que possam identificar as suas percepções sobre o tema do Patrimônio Cultural e Sustentabilidade. O objetivo, de acordo com os organizadores, foi ouvir as leituras de mundo desses jovens e convidá-los a refletir sobre o futuro. Foi entender o que esperam e desejam de uma sociedade que precisa urgentemente exercitar estilos de vida sustentáveis e que valorize a interculturalidade e os diferentes jeitos de estar no mundo.

A programação também contou com uma mostra audiovisual hispano-brasileira sobre o flamenco e o jongo, incluiu a degustação de comidas da dieta mediterrânica e da cozinha quilombola, além de visitas a museus e um passeio pelo centro de São Paulo (SP).

Ao final do processo, os participantes construiram coletivamente produtos autorais baseado na vivência proporcionada pelo fórum: a Forumpédia, uma coletânea de conceitos apontados pelos jovens como fundamentais para a compreensão dos temas abordados; um mapa afetivo de suas referências culturais e uma carta que será encaminhada à Rede de Escolas Associadas da UNESCO (PEA), com a proposta de criação de uma aliança juvenil pelo Patrimônio Mundial.