Publicado em 01.04.2019 - Em sala de aula - Sem comentários

O Colégio Guilherme Dumont Villares e o curso Intergraus são parceiros há seis anos. Alunos do GDV participam de uma preparação especial para o vestibular. O Professor Antonio Machado é um dos líderes do curso e um dos autores do livro “Matemática e Realidade”, que está sendo aplicado no Colégio Guilherme Dumont Villares, a partir do 6º ano do ensino fundamental.

Em entrevista ao site do GDV, Machado destaca a sintonia entre o colégio e o Intergraus, pela seriedade do trabalho e metodologia de ensino do GDV. Confiram.

Como iniciou a parceria com o GDV?

Nós temos uma parceria através do curso Intergraus, há seis anos. Nós oferecemos um curso especial para os alunos da 3ª série do Ensino Médio, como preparação para o vestibular. É um curso totalmente adaptado ao calendário e cronograma do colégio, de forma que essa parceria vem caminhando e agora estou muito mais feliz de saber que também estou ingressando no colégio, a partir do 6º ano do ensino fundamental, com o meu livro.

Essa parceria tem dado bons resultados na aprovação dos alunos no vestibular?

Olha, tem dado bastante resultado. Alunos do GDV conseguiram aprovação na FGV, Fuvest e Unicamp, entre outros grandes vestibulares, e deram depoimentos maravilhosos aos nossos professores.

O ensino da Matemática mudou muito de uns tempos para cá?

Tem mudado bastante, mesmo porque é uma disciplina bem dinâmica e todas as questões têm que ser sempre atualizadas. Não é que a teoria da matemática tenha mudado, mas a forma de passar e aplicar, isso tem que estar sempre evoluindo.

É mais fácil lidar com os alunos atuais no ensino da matemática, em relação a tempos atrás?

É mais fácil. Eu acho que hoje você têm muitos canais para se comunicar com eles. O professor precisa estar bem orientado e ter elevada competência para acompanhar bem, porque hoje o aluno pode ir mais rápido que o professor. O professor tem que ser um ótimo orientador de estudos.

Como o Sr. define o GDV?

É um colégio que faz um trabalho muito sério, muito interessante e, pela nossa parceria, eu vejo que a gente casa muito bem porque eu entrei nas classes do ensino médio e vejo que a forma como as aulas estão sendo ministradas, com grupos de alunos fazendo os debates particulares, isso tem dado bastante resultado. As classes são bem condizentes com o nível de ensino e o nosso curso também é um cursinho muito diferente dos grandes cursos porque os grandes cursos têm auditórios. As salas de aulas são auditórios para 200, 250 alunos. O nosso curso é uma classe de colégio com 40, 50 alunos. Então, a gente tem exatamente uma filosofia que casa muito bem com a do colégio.

Com toda sua experiência, a matemática ainda assusta os alunos?

Isso não é uma lenda, mas depende muito da condução que o professor der, desde o início da formação do aluno no fundamental porque o aluno precisa gostar e ver como a matemática está presente na vida dele e em diversas situações. Aí, ele começa a ver sentido e gostar da matéria.