Publicado em 14.02.2019 - Destaques - Sem comentários

MOVIMENTO GREENK

selo-o-movimento

Em 2018, o GDV participou do Greenk Tech Show, evento que mobiliza escolas e alunos para arrecadação e descarte correto do lixo eletrônico. O Colégio conquistou o segundo lugar no torneio realizado pela empresa de sociedade civil, que leva o mesmo nome. A terceira edição já está confirmada para este ano e deve reunir mais de 230 escolas do Estado de São Paulo.

fd84d5e9-0c3d-4aaf-bd6f-3b90796b84f31

Em 2018, alunos do GDV coletaram 8,5 toneladas de e-lixo.

O Diretor-geral do movimento Greenk, Fernando Perfeito, concedeu uma entrevista ao site do GDV, para falar sobre a parceria com a escola, nesta ação importantíssima do ponto de vista ambiental e educacional.

O que é o Greenk?

Fernando: Uma ação educacional ambiental para conscientização dos jovens para o descarte correto do lixo eletrônico. Nós somos uma empresa da sociedade civil que conecta governo, empresas privadas, entidades de ensino para mobilizar essa causa ambiental tão importante. O lixo eletrônico é o lixo que mais cresce na sociedade tecnológica atual e ninguém sabe onde jogá-lo e é um produto altamente poluidor. Por outro lado, também é altamente reciclável. Então, essa é a nossa proposta de mobilizar a sociedade. Nós começamos com essa ação em 2017. Primeiramente, com evento realizado na Bienal de São Paulo, no parque Ibirapuera, onde arrecadamos três toneladas de lixo eletrônico. Em 2018, fizemos três ações em parceria com a prefeitura e o governo de Mônaco, nós implantamos a primeira rede de pontos de coletas em locais públicos do país. Então, nós temos coletores de lixo eletrônico no Ibirapuera, Aclimação, Parque do Povo, Independência, enfim, 15 parques, na sede da prefeitura, em locais públicos, em São Paulo. Em menos de nove meses, arrecadamos dez toneladas nesta ação. Fizemos o primeiro torneio de colégios de arrecadação de lixo eletrônico, onde iniciamos a nossa parceria com o Colégio Guilherme Dumont Villares.

OS5040-300x200 (1)

Como foi este torneio?

Fernando: Esse torneio envolveu 80 escolas, no ano passado, num torneio educacional ambiental onde cada escola compete contra a outra sobre quem arrecada mais lixo eletrônico. Também houve uma atividade de games, onde cada colégio inscreveu seus times em duas categorias de games. Um game mais de coordenação motora que é o Just Dance da Ubisoft, para o ensino fundamental 2 e um game de estratégia e de grupo que é o League of Legends, que a gente indica para formarem times do ensino médio. Também houve um torneio de projetos, onde as escolas apresentaram projetos desenvolvidos pelos alunos de tecnologia e sustentabilidade dentro da escola. Foram mais de 80 mil alunos, que com essa ação, coletamos 75 toneladas de lixo eletrônico. Foi um sucesso tremendo. O colégio GDV participou como uma escola coordenadora do Programa de Escolas Associadas da Unesco e também foi uma das escolas competidoras, com a conquista do segundo lugar. A escola vitoriosa foi uma escola pública, também vinculada à Unesco e seus alunos conseguiram arrecadar 14 toneladas de lixo eletrônico. Foi super legal. Essa ação durou 45 dias e se encerrou em maio, com um evento realizado, que foi o Greenk Tech Show, no Anhembi, onde nós tivemos arenas de games, de conteúdos de influenciadores que fizeram engajamentos para a causa ambiental e uma arena de conhecimento, onde falamos sobre empreendedorismo, profissões do futuro. Basicamente, esse é o movimento Greenk. Fechamos 2018 com arrecadação de 91 toneladas. Agora, em 2019, estamos planejando uma segunda edição deste torneio. Desta vez, as inscrições serão de prioridade para as escolas públicas e privadas associadas da Unesco, com 235 escolas, onde queremos alcançar 230 mil alunos, em São Paulo. Nós temos um termo de parceria com a Secretaria de Educação, para esta ação. Nossa ideia agora, em 2019, é o GDV, como coordenador da Regional da PEA-Unesco, vai realizar um evento com todas as escolas, dia 23 de fevereiro, onde vamos apresentar a segunda edição e cadastrar as escolas Unesco no Estado, para participarem desta ação, que será realizada de abril até agosto. Nós teremos um ônibus do laboratório do lixo eletrônico que vai visitar as escolas, ensinando os alunos sobre o que é o lixo eletrônico, o que ele contém e como descartá-lo corretamente. Serão distribuídas 250 mil cartilhas e esses alunos irão se engajar para uma grande coleta de lixo eletrônico, que será a maior da América Latina, com previsão de 220 toneladas.

O Governo apoia esse evento?

Fernando: O Ministério de Ciência e Tecnologia apoia e patrocina o evento, desde as primeiras edições, além de empresas privadas, também. Três escolas públicas que foram destaques na edição passada serão premiadas com computadores que foram recuperados do lixo eletrônico. Esse é um programa do governo federal, onde eles pegam computadores descartáveis, recuperam, transformam em computadores que são doados para escolas que têm necessidades. O Ministro Marcos Pontes vai entregar dez computadores para representantes dessas escolas públicas Unesco, que participaram do ano passado. A Diretora do GDV e Coordenadora do PEA-Unesco, Eliana Aun, e a Professora Míriam, Coordenadora Nacional do PEA-Unesco, estarão acompanhando o ministro, nesta solenidade, no Campus Party, em São Paulo. Aí, já é uma forma de anúncio desta edição de 2019, em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia.

Como funciona a parceria com o GDV?

Fernando: A gente quer envolver o GDV como uma escola coordenadora da Rede PEA_UNESCO, mas também como ações próprias do GDV. Sempre que há oportunidades, eu convido os alunos para participarem das ações. No ano passado, quando nós lançamos o primeiro ponto de coleta no Parque do Ibirapuera, convidamos os alunos da escola para fazer o primeiro descarte, participar da filmagem. Estamos propondo ao Coordenador Leandro, que nossa cartilha ambiental seja reescrita por alunos, com a linguagem deles. Enfim, a gente gostaria, realmente, de trazer o GDV para próximo desta temática.

Por que o GDV foi escolhido por vocês?

Fernando: Tudo começou em 2017, com as escolas parceiras Visconde de Porto Seguro, Dante Alighieri, começaram e aí eu me aproximei do GDV por indicação do Porto Seguro, onde meu filho estuda e por conhecer o Programa PEA-UNESCO. O Programa Greenk é associado ao Programa Global Compact da ONU. A gente reconhece e estimula os objetivos do desenvolvimento sustentável. Essa ação do lixo eletrônico responde por seis dos 17 objetivos sustentáveis e tive a oportunidade de conhecer a Professora Eliana no ano passado. Ela se encantou com o projeto e participei do encontro das escolas associadas do PEA-UNESCO. A ideia agora é fazer com que as escolas tenham um brilhantismo nessa ação e tudo isso foi feito através da articulação da Dona Eliana. Então, nosso carinho pelo GDV é muito grande e especial, pelo trabalho sensacional, que eles realizaram no torneio.

abertura menor

Em 2018, o GDV ficou em 2.º lugar no Greenk Tech Show e obteve a primeira colocação entre as escolas particulares.

O Greenk prevê que o Brasil arrecade 1,5 milhão de toneladas de lixo eletrônico anuais, onde 97% vai para o lixo comum, contaminando a coleta do lixo domiciliar e poluindo recursos naturais do país. O movimento elegeu essa causa ambiental como forma de mobilização no país, podendo gerar uma indústria de economia circular no Brasil, ainda incipiente.