Processo que visa desenvolver desde o conhecimento e identificação das partes e elementos de seu próprio corpo, até apropriação progressiva de sua imagem global, objetivando:

– apropriação e consciência corporal;

– dimensão expressiva do movimento

– controle e adequação do movimento.

A Escola trabalha em parceria com a Academia Gustavo Borges e oferece aos alunos uma metodologia diferenciada na hora de aprender a nadar, que pretende, em sua essência, transpor os ensinamentos do esporte para a vida.

A equipe de profissionais é formada por um grupo de professores especializados no ensino aquático e apaixonados pelo que fazem. A proposta de ensino tem como objetivo oferecer ferramentas para que os alunos busquem soluções adequadas e criativas durante as operações aquáticas em diferentes tamanhos, configurações de piscina e nas mais diversas situações do dia a dia.

Traduz-se o termo judô como “caminho suave” ou “caminho da suavidade”. Reconhecidamente, reforça a disciplina, atingida por meio da luta e dos mecanismos de concentração, que promovem o autocontrole e a autoconfiança, também traz benefícios no campo da moral e da ética, em que o respeito aos valores apresentam uma melhora expressiva.

Os fundamentos básicos do judô estão divididos em cinco categorias:

  1. Postura corporal (shinsei) – Baseia-se em dois tipos: a postura normal do corpo e a postura defensiva (jigotai);
  2. Movimentação do praticante no tatame (shintai) – Baseia-se em três tipos: andar de modo comum (ayumi-ashi), andar arrastando os pés (suri-ashi) e andar apenas com uma das pernas à frente, arrastando a outra (tsugi-aschi);
  3. Giros do corpo (tai-sabaki) – São também três tipos: o giro para frente (mai-sabaki), giro para trás (ushiro-sabaki) e giro para os lados (yoko-sabaki);
  4. Formas de pegadas (kumi-kata) – Podem ser feitas tanto do lado esquerdo (hidari) ou do direito (migui). Elas podem ser feitas na gola (eri), na manga (sode) e na calça (chitabaki). São proibidas as pegadas por dentro da manga e por dentro da barra da calça;
  5. Amortecimento de quedas (ukemi) – Totalizam dez tipos, que se dividem em três tipos para trás, dois tipos para frente, três tipos para os lados e dois tipos de rolamento.

No GDV, o aluno aprende a lutar brincando e assimila o conteúdo comportamental de forma natural, participando de eventos e torneios adequados a sua faixa etária.

É uma manifestação da cultura, de movimento muito importante e relevante em todo mundo. Como forma de expressar a vida, sonhar e brincar com o corpo, essa vivência é fundamental para a consciência corporal de nossas meninas.

A dança, como parte do processo educacional, não se constitui apenas como aquisição de habilidades, mas como aprimoramento das habilidades básicas, dos padrões fundamentais do movimento, no desenvolvimento das potencialidades humanas e sua relação com o mundo.

No GDV, este trabalho une o conteúdo lúdico dos movimentos, das melodias e de diferentes culturas para que nossas alunas possam ter novas percepções e experimentar outras possibilidades.