Os postulados filosóficos abrangentes que balizam a gama de princípios desta Instituição Educacional são:
A educação é um processo contínuo e permanente, durante o decurso da existência do ser humano, mediante o qual se transmite a herança cultural de gerações, num processo de desenvolvimento contínuo, capaz de gerar respostas adequadas a problemas atuais que se enfrentam diante dos novos saberes contemporâneos;
A herança cultural é entendida como a soma dos valores admitidos pela sociedade, entre os quais tem particular importância aqueles relacionados com o problema do ser e a destinação do homem no mundo em que vive;
O homem existe para a realidade de uma vida feliz, dentro de um mundo onde deverá se concretizar, pela atuação do próprio homem, o ideal de justiça social como base para o bem comum;
A justiça social, o bem comum, o ideal de felicidade, que constituem a aspiração do homem são concretizados pelo desenvolvimento das capacidades do ser humano, pela consciência e valorização do mundo em que ele habita, pelo respeito às liberdades e aos direitos de todos, pelo progresso da ciência posta a serviço da humanidade, pela preservação do patrimônio cultural e artístico, pela solidariedade universal, pelo fortalecimento da família entendida como célula da sociedade, pelo culto cívico que inclui o homem na comunidade universal, pela negação de qualquer preconceito de raça e credo político e religioso, pelo amor ao trabalho e pelo empenho na construção de um mundo sempre melhor;
Acrescentam-se aos postulados acima enunciados, exigências que se fazem presentes hoje, mundialmente, e que requisitam dos sistemas educacionais a observância rigorosa do que identificaríamos aqui como quatro pilares de sustentação do sistema educativo:
Aprender a Conhecer – o que pressupõe combinar uma cultura geral suficientemente extensa e a possibilidade de trabalhar em profundidade alguns assuntos;
Aprender a Fazer – que pretende que cada pessoa adquira competência que a torne apta a enfrentar diferentes situações e a trabalhar em equipe;
Aprender a Viver com os Outros – o que implica compreender o outro, perceber a interdependência, realizar projetos comuns e preparar-se para gerir conflitos;
Aprender a Ser – que pretende que cada pessoa possa desenvolver melhor sua personalidade, suas capacidades e sua autonomia.

(Considerações oriundas da Reunião Internacional sobre Educação para o Século XXI).